BRASÃO

O Brasão e a Bandeira municipal foram instituidos através da Lei nº 14 de 18/05/82, pelo ex-vereador Getúlio Borsa Lima e criado pelo artista Antonildes Bezerra Mendonça.

  • O Brasão apresenta em sua parte superior o Sol Nascente refletindo a esperança dos itacoatiarense que nascem a cada dia, contendo em seus raios a data da fundação do município.
  • Ao fundo apresenta a paisagem viva itacoatiarense mostrando o rio caudaloso rio Amazonas.
  • Ornando o Brasão temos dois tucunarés simbolizando a fartura pesqueira do município.
  • No centro observamos uma àrvore de castanheira (bertholletia excelsa), produto que dá deliciosas amêndoas, cuja mesma é árvore nativa da região. A castanha do Amazonas (Pará) foi um dos principais produtos de importação do município no século IX.
  • Temos ainda no centro a vitória régia, símbolo da beleza aquática do Amazonas.
  • Notamos ao redor do Brasão uma corda tecida em fibra de juta, cujo produto é bastante produzido neste município e exportado para o sul do país.
  • Circulando a corda vê-se parte de um ramo representando a botânica da terra.
  • Toda a paisagem toma a forma da “cabeça de boi gir”, simbolizando a pecuária do município.
  • Entre a paisagem e a âncora, temos várias sementes de seringueira (hévea brasiliensis), cuja árvore produz a borracha, propulsora da economia itacotiarense durante o século IX.
  • Dando o fecho ostenta-se uma âncora que representa a exportação de todos os produtos para diversos lugares do mundo

 

SÍMBOLO-MÓR DA CIDADE

Pedra lavrada, gravado, pintada, escrita ou esculpida – Tupi (1744 +1754 TROPA) Originalmente trata-se de uma rocha do tipo arenito da formação geológica alter do chão. Encontrada nas proximidades do porto do Bairro do Jauary, lugar de origem da pedra histórica, a qual se encontra hoje na praça da Catedral da cidade de Itacoatiara.

Observam-se também ocorrências das mesmas formações rochosas no leito do Rio Urubu, na região conhecida como Pedra Chata. Neste lugar encontram-se várias pedras de tamanhos diversos, com inúmeros desenhos hieroglíficos, os quais trazem em sua maioria detalhes de rostos humanos e de animais.

Portanto, a tradução mais sensata do termo sugere: Itacoatiara, lugar das pedras desenhadas. A questão do termo pintada, não se emprego pelo fato dos referidos desenhos originais, não apresentarem nenhum pigmento ou qualquer tipo de colorização, apenas apresentam desenhos em baixo relevo, como se fossem feitos com instrumento cortante e/ou uma pedra mais dura e afiada, a qual era utilizada para gravar de desenhos de rostos nos frontais das pedras areníticas, as quais ficam submersas sobre o Rio Amazonas e Rio Urubu no período das cheias, e somente os furos nas pedras poderiam resistir tais intempéries da natureza.

A pedra que se encontra na praça da Matriz, retrata a passagem do colonizar, pois apresenta inscrições da cultura ocidental: 1744 – 1754, uma cruz no centro e a palavra Tropa na parte inferior. Projetando a data a passagem dos sertanistas na época da colonização da Amazônia. A cruz no centro, representando a época o Teocentrismo, pois o processo de colonização da Amazônia teve os missionários jesuítas como principais protagonistas do processo de pacificação, aculturamento e por fim de dominação do império português nesta região. Todavia, também foram responsáveis pela destruição da cultura nativa, não nos deixando nenhuma herança cultural. Somente nos restam as pedras com os seus desenhos enigmáticos, que testemunham o tempo de dominação, saque e sobreposição da cultura européia sobre a cultura nativa. Tanto é que, as pedras nativas continuam isoladas nos seus locais de origem, de alguma forma protegida pelas águas do Rio Amazonas e Urubu, enquanto a pedra que foi gravada pelos colonizadores, foi trazida para exposição em pública.


 

A Bandeira do Município de Itacoatiara foi criada a partir da Lei nº 14 de 18/05/82. E elaborada pelo Artista Antonildes Bezerra Mendonça

  • No alto à esquerda temos a estrela simbolizando o município, cuja estrela pertence a Bandeira do Estado.
  • No centro temos a Pedra Histórica de onde origina-se o nome Itacoatiara (pedra gravada, esculpida,lavrada), contendo inscrições hieroglíficas – “1744 a 1754, uma “cruz com três degraus” e palavra “TROPA”. Simbolizando o período de colonização do Amazonas pelos portugueses cujos mesmos sempre estavam acompanhados dos jesuitas que vinham catequizar os índios juntamente com a “tropa” de soldados que os defendiam de possíveis ataques indígenas.
  • Vê-se ao centro uma faixa vermelha provinda da Bandeira do Amazonas.
  • O verde representa a exuberante floresta itacoatiarense e a esperança do povo que anseia pelo progresso.
  • O azul representa a cor do céu